O objetivo deste blog é divulgar toda a minha produção poética, sem prejuízo de continuar a ser postada também no Portal de Poesia Rodolfo Pamplona Filho (www.rodolfopamplonafilho.blogspot.com).
A diferença é que, lá, são publicados também textos alheios, em uma interação e comunhão poética, enquanto, aqui, serão divulgados somente textos poéticos (em prosa ou verso) de minha autoria, facilitando o conhecimento da minha reflexão...
Espero que gostem da iniciativa...

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Efeméride


Rodolfo Pamplona Filho

Vislumbres de futuro
ou imagens do impossível?
Projetos a realizar
ou devaneios do inconsciente?
Sonhos da loucura
ou oportunidades de transformação?
Efemérides...


Salvador, 16 de abril de 2017

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Diagnóstico


Rodolfo Pamplona Filho

Diagnóstico não é destino
é uma possibilidade de ocorrência
em um futuro de incertezas

Diagnóstico não é maldição:
é apenas uma observação
em um mundo de palpites

Diagnóstico não é sina:
é uma estrada possível
em uma peregrinação de infinitos caminhos.


Gramado, 26 de maio de 2017, ouvindo Carpinejar...

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Viciado em Você


Rodolfo Pamplona Filho

Ficar sozinho é horrível...
Não ter seu cheiro é terrível
Fico doido para ter algum contato seu.
Não sei mais quem sou eu...
Cogitei até ligar, mas me contive
pelo perigo de expor o crime...
de ter matado a solidão e o sofrer...
de estar viciado em você...

Eu posso morrer amanhã
eu posso não acordar de manhã
eu posso chorar toda a noite
eu posso sofrer a dor do açoite
eu posso perder tudo na vida
eu só não posso perder a minha querida
que renovou o sentido da paixão
e despertou em mim antiga emoção
que há muito tempo eu não sentia,
o frio na barriga com a cama vazia
e o desejo incontrolavel de ter
apenas mais um momento de prazer...

Salvador, 25 de outubro de 2010.

terça-feira, 13 de junho de 2017

Crise de Abstinência


Rodolfo Pamplona Filho

Chegou o dia
Bateu o horário
e o que se espera
não chega...
nem virá...

Chegou o dia
Bateu o horário
e o que se precisa
não está mais
ao alcance

Seja uma droga,
um amor
ou uma vida,
poucos sobrevivem
aos efeitos
de uma crise de abstinência.


Salvador, 01 de maio de 2017.            

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Calma...


Rodolfo Pamplona Filho

A imaturidade demora para ser curada.
Há quem nunca se cure...
A esperança persevera sobre a experiência
Há quem nunca aprenda...
O processo é desgastante
e pode sempre piorar...
A tristeza parece infinita
e não se vê luzes no horizonte...
Quando a solução parece passar
pelo afastamento total e irrestrito
é hora de falar para dentro:
Calma...

Salvador, madrugada de 03 de maio de 2017.                       


domingo, 11 de junho de 2017

Paralaxe



Rodolfo Pamplona Filho
Enxergar tudo
sob o ponto de vista alheio.
Cada um vê algo
que os demais sequer percebem...
Usar os olhos não dói.
Sentir a dor do outro, sim.

Praia do Forte, 26 de março de 2013.

sábado, 10 de junho de 2017

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Amor e Posse


Rodolfo Pamplona Filho

Amo você inteiro
Amo você por inteiro
Só odeio quando me faz
lembrar que não é meu...
Mas alguém é dono do outro?
Ninguém é dono de ninguém
Então por que o dilema
entre o amor e a posse?
Se as teorias são corretas,
por que não consigo agir assim?
Tão utópico esse amor
Tão lindo esse amor
É tão maravilhoso amar,
mas, ao mesmo tempo,
é tão ridículo ficar preso a alguém...
Há uma coação social
acima do amor..
Há uma caixa castradora
que poucos conseguem destrancar
Seja Karenina ou Beauvoir,
é possível descobrir novas formas de amar...
Se você amar alguém,
deixe-o livre...
E quando não for feliz no sistema,
subverta-o
ou liberte-se dele.

Salvador, 16 de maio de 2017.                       


quinta-feira, 8 de junho de 2017

Escravas Sagradas de Korinthio

Rodolfo Pamplona Filho
No encontro entre o Egeu e o Jônico
e de dois portos importantes,
encontra-se a cidade
que não conhecia o amor

No culto à Afrodite,
entregam-se mais do que primícias,
pois é o próprio corpo o objeto
do contato, do negócio e do prazer,

proporcionando conforto e alento
a quem vem de muito longe
e não sente há muito mais

o contato com a pele aveludada
em que o sentimento é nada,
mas a entrega e satisfação totais.


Na estrada de Korinthio para Atenas, 29 de setembro de 2012.

quarta-feira, 7 de junho de 2017

A Medida da Dor


Rodolfo Pamplona Filho
Eu não quero
ser insensível...
Eu não quero
desprezar a sua dor
Eu não pretendo
fazer competição de tristezas,
mas a dor do que se sente
é muito pior
do que a dor
do que se gostaria de sentir
e não se sente...


Salvador, 14 de maio de 2017.