O objetivo deste blog é divulgar toda a minha produção poética, sem prejuízo de continuar a ser postada também no Portal de Poesia Rodolfo Pamplona Filho (www.rodolfopamplonafilho.blogspot.com).
A diferença é que, lá, são publicados também textos alheios, em uma interação e comunhão poética, enquanto, aqui, serão divulgados somente textos poéticos (em prosa ou verso) de minha autoria, facilitando o conhecimento da minha reflexão...
Espero que gostem da iniciativa...

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Proposta Decente



Rodolfo Pamplona Filho

Quem não conhece
a si próprio
não pode saber
quem é um outro ser...

Quem não sabe
o que quer
não pode querer
que o outro possa saber...

Quem não é dono de si
não pode oferecer
sua liberdade a ninguém.

Recife, 11 de novembro de 2017

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Conte comigo!


Rodolfo Pamplona Filho 

Estar ao lado
não é só
aproveitar as coisas boas!
É dividir o peso!
É compartilhar a dor!
É emprestar o ombro!
É chorar pelo mesmo temor!

Estar ao lado
não é só
postar-se fisicamente!
É torcer na mesma linha!
É pensar em alternativas!
É vibrar na mesma sintonia!
É buscar uma mudança de vida!

Estar ao lado
não é só
dar uma mensagem de ânimo!
É unir seu desejo à sua emoção!
É transformar a palavra em ação!
É poder dizer verdadeiramente:
Conte comigo para todo o sempre!



Praia do Forte, 12 de novembro

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Crise Existencial



Só quem tem atendidas
suas necessidades básicas
tem tempo para ter
crise existencial

Salvador, 09 de dezembro de 2017.

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Atitude ou Altitude



Rodolfo Pamplona Filho

Para mudar,
é preciso ser
poeta nas atitudes!
E não se limitar
às altitudes
das palavras.

Salvador, 06 de dezembro de 2017.

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

O dilema de Coltrane



Rodolfo Pamplona Filho

o dilema de Coltrane
a dúvida de Vinicius
a segurança ou a felicidade
a estabilidade ou a curiosidade
a lembrança ou a saudade
o céu ou a terra
a paz ou a aventura
o silêncio ou a vida.

Salvador, 03 de dezembro de 2017.

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Vergonha de ser Feliz



Rodolfo Pamplona Filho

Há quem definitivamente
tem vergonha de ser feliz...

Pergunte como foi a viagem?
Cansativa

Pergunte se vai à festa?
Não tenho o que vestir

Pergunte como está o trabalho?
Terrível

Pergunte como vão as férias?
Não sei o que fazer

E assim vai-se crescendo
e não se vai percebendo
que simplesmente está perdendo
a oportunidade de viver
pela vergonha de ser feliz.

Salvador, 15 de novembro de 2017

domingo, 7 de janeiro de 2018

Entre a Prevenção e a Poesia



Rodolfo Pamplona Filho

Retiraram todas as plantas
e terra das nossas jardineiras.
Decisão do condomínio

Finho me ligou com a pergunta:
Por que acabaram
com o meu quintal?

Lá nasceram
vários passarinhos,
parecia uma maternidade

Lá as flores já estavam
entrando pela janela do banheiro
e ele olhava enquanto tomava banho

De lá tiramos folhas
para fazer pinturas e decalques
na prova de que a natureza se renova.

Lá ele aprendeu que
as plantas precisavam de água
e nós usávamos um pequeno regador

Lá se podia perceber
que, para fazer poesia,
basta olhar ao seu redor.

Salvador, 20 de setembro de 2017.

sábado, 6 de janeiro de 2018

O Medo Normal do Futuro



Rodolfo Pamplona Filho

Tenho medo
De nunca me libertar...
De nunca conseguir ser eu mesmo...
De nunca viver publicamente
o amor mais linda de todas as vidas...

O medo é normal...
Mas penso no amanhã...
No futuro que espera...
Não choro mais...
agradeço a Deus, ou ao mundo,
porque houve o encontro

Era uma probabilidade tão pequena,
com Mundos tão distantes,
mas o destino sorriu...
E o que era improvável
se tornou possível
e virou realidade.
E assim será...

Salvador, 28 de novembro de 2017.

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Sabor Inusitado



Rodolfo Pamplona Filho

Qual é o seu sabor?
Talvez um corte de tannat
com pinot noir...
Inusitado

Qual é o seu sabor?
Talvez a emoção
do suor e do tesão...
Inusitado

Quando o universo conspira,
não vale a pena resistir...
o melhor é sentir
a energia da onda
que renova a sinergia entre
e o gosto de viver...

Inusitado.
E Surpreendente.

Recife, 14 de novembro de 2017